Monday, February 27, 2017

ANNIVERSARIO

non mangiavamo mai le noci o le mandorle quando ci veniva fame
ad ore strane.
tu sempre volevi qualcosa di dolce.
io...io volevo quello che volevi tu.
tu non hai mai assomigliato al mio amore per te.
ora , forse solo ora
capisco perchè




1 comment:

scifkacalapez said...

Profunda admiração pelo modo como nas suas mãos as palavras se transmutam em poesia.

E porque me parece que vc também pertence a essa “raça”:

“… Em Creta onde o Minotauro reina atravessei
a vaga
De olhos abertos inteiramente acordada
Sem drogas e sem filtro
Só vinho bebido em frente da solenidade das coisas –
Porque pertenço à raça daqueles que
percorrem o labirinto,
Sem jamais perderem o fio de linho da palavra”
Sophia de Mello Breyner